CW CPA logo 350x100

+852 2956 3798

cw@cwhkcpa.com

ESG é uma questão urgente, e não apenas uma tendência

Alavancando o ESG para o sucesso: Impulsionando a inovação e o crescimento sustentável

O tema Ambiental, Social e de Governança (ESG) está ganhando força em todo o mundo. No atual cenário de negócios em rápida mudança, as empresas enfrentam pressões cada vez maiores para não apenas gerar lucratividade, mas também agir como cidadãos corporativos responsáveis. O conceito de ESG surgiu como uma estrutura poderosa para as empresas enfrentarem esses desafios, criarem valor sustentável e se alinharem às expectativas das partes interessadas. Neste artigo, exploraremos o conceito de ESG, sua importância tanto para empresas de grande porte quanto para pequenas e médias empresas (PMEs), os desafios enfrentados na implementação de estratégias de ESG e como as empresas podem aproveitar seu potencial para se desenvolver de forma sustentável e prosperar no longo prazo.

O ESG tem a ver fundamentalmente com a criação de valor de longo prazo. Ao integrar considerações de ESG em suas estratégias, as empresas podem aumentar sua resiliência, adaptar-se às mudanças na dinâmica do mercado e aproveitar novas oportunidades. Com exceção de relatórios robustos e do compromisso do conselho de administração, que são importantes para as empresas listadas e de grande porte, para aproveitar todo o potencial de ESG, as empresas de todos os tamanhos devem considerar o seguinte:

Gestão ambiental: As empresas podem adotar práticas e tecnologias ecologicamente corretas para minimizar sua pegada de carbono e reduzir o consumo de recursos. Isso pode incluir a implementação de medidas de eficiência energética, o investimento em fontes de energia renováveis, a otimização dos sistemas de gerenciamento de resíduos e o uso de materiais sustentáveis em seus processos de produção. Ao integrar considerações ambientais em suas operações, as empresas podem contribuir para mitigar as mudanças climáticas, preservar os ecossistemas e proteger os recursos naturais.

Impacto social: As empresas podem priorizar o impacto social fomentando locais de trabalho inclusivos, promovendo a diversidade e a igualdade e garantindo práticas trabalhistas justas em suas cadeias de suprimentos. Isso envolve proporcionar ambientes de trabalho seguros e saudáveis, respeitar os direitos humanos e apoiar o bem-estar dos funcionários. Além disso, as empresas podem se envolver em iniciativas filantrópicas, projetos de desenvolvimento comunitário e parcerias com organizações locais para enfrentar desafios sociais e contribuir para a melhoria da sociedade. Com os esforços acima, as empresas podem manter proativamente a reputação e a imagem da empresa e fortalecer a influência social.

Gerenciamento de riscos: As empresas devem obedecer ativamente às leis nacionais e locais, bem como às regulamentações, preparar e seguir a lista de verificação para implementar um sistema de conformidade interna rigoroso para monitorar o meio ambiente, a sociedade e a governança em todos os aspectos.

Para monitorar a cadeia de suprimentos, as empresas podem garantir o fornecimento responsável e o gerenciamento da cadeia de suprimentos realizando a devida diligência em seus fornecedores. Isso inclui avaliar a adesão dos fornecedores a padrões éticos, direitos trabalhistas, regulamentações ambientais e práticas anticorrupção. Ao promover a transparência e a responsabilidade em toda a cadeia de suprimentos, as empresas podem minimizar os riscos, evitar violações dos direitos humanos e promover práticas sustentáveis em todas as suas operações.

Por meio da implementação eficaz da gestão de recursos, da gestão de energia, da gestão de gases residuais e de outras formas eficazes, as empresas podem controlar adequadamente os riscos sob a perspectiva de ESG.

Envolvimento das partes interessadas: o envolvimento com as partes interessadas é fundamental para entender suas expectativas e preocupações. Ao buscar ativamente a contribuição de clientes, funcionários, comunidades, investidores e ONGs, as empresas podem alinhar melhor seus esforços de ESG com os interesses das partes interessadas e construir relacionamentos mais sólidos.

Impulsionar a inovação de produtos e processos: As considerações ESG podem inspirar as empresas a repensar seus produtos e processos, levando a inovações revolucionárias. As empresas podem explorar materiais sustentáveis, técnicas de fabricação com eficiência energética e princípios de economia circular para desenvolver produtos ecologicamente corretos com impacto ambiental reduzido. Além disso, o ESG pode impulsionar inovações de processo que otimizam a eficiência dos recursos, reduzem o desperdício e aumentam a sustentabilidade da cadeia de suprimentos. Ao integrar o ESG em seus processos de inovação, as empresas podem aumentar a eficiência operacional, diferenciar-se no mercado e atrair consumidores ambientalmente conscientes. Como as empresas operam em um mundo cada vez mais interconectado e transparente, as partes interessadas exigem mais do que apenas desempenho financeiro. Investidores, clientes, funcionários e órgãos reguladores estão considerando cada vez mais os fatores ESG ao tomar decisões.

Por que o ESG é importante?
Para empresas de capital aberto e empresas de grande porte

Alguns órgãos reguladores do mercado financeiro, como a Bolsa de Valores de Hong Kong, exigem que as empresas listadas divulguem informações de ESG. Alguns regulamentos de sustentabilidade nacionais ou regionais, como Diretriz de Relatórios de Sustentabilidade Corporativa (CSRD) e a Corporate Sustainability Due Diligence Directive (CSDDD) na UE, e a Lei alemã sobre a cadeia de suprimentos (LkSG), enfatizam os direitos humanos e as responsabilidades ambientais de empresas de grande porte e exigem que elas realizem a devida diligência em sua cadeia de suprimentos e tomem medidas para evitar a ocorrência de riscos. A implementação desses requisitos ajuda a garantir que as empresas operem em conformidade com as leis, os regulamentos e os padrões éticos.

As empresas que adotam o ESG não apenas atendem aos requisitos regulatórios, mas também se alinham aos valores e às expectativas de seus acionistas. O ESG descreve indicadores não financeiros no mercado financeiro internacional atual, o que fornece um conjunto de critérios viáveis de julgamento de investimento para os investidores medirem o valor do investimento das empresas, além de ser uma base importante para o gerenciamento de risco das instituições de investimento. De acordo com a EY Global Institutional Investor Survey 2021, 90% dos investidores pesquisados priorizam o desempenho ESG das empresas em sua estratégia de investimento e tomada de decisões, enquanto 74% dos investidores institucionais pesquisados são mais propensos a desinvestir de empresas com histórico ESG ruim.

Para empresas de pequeno e médio porte (PMEs)

A grande maioria do impacto ambiental nos negócios vem do início da cadeia de suprimentos, o que afeta muitas PMEs. Para as empresas B2B, os grandes clientes corporativos podem estar diretamente sujeitos às regulamentações relacionadas, como a CSDDD, e imporiam requisitos aos seus fornecedores, grandes e pequenos, ao longo da cadeia de suprimentos, para garantir que suas cadeias de suprimentos estejam em conformidade com as regulamentações. Para as empresas B2C, os clientes individuais estão se tornando mais conscientes do impacto ambiental e social dos produtos que compram, favorecendo as empresas com fortes credenciais ESG. Ao priorizar o ESG, as PMEs podem permanecer relevantes na cadeia de suprimentos, criar confiança, atrair investidores, fidelizar a marca e atrair mais capital e financiamento, demonstrando seu forte compromisso com o ESG.

Desafios na implementação de estratégias de ESG nas empresas

A implementação de estratégias ESG pode apresentar vários desafios para as organizações. Aqui estão alguns desafios comuns enfrentados na implementação de estratégias ESG:

  1. Disponibilidade e qualidade dos dados: As organizações precisam ter acesso a dados precisos e abrangentes para avaliar seu desempenho atual, definir metas e acompanhar o progresso. No entanto, os dados podem ser limitados, inconsistentes ou não estar prontamente disponíveis, dificultando a tomada de decisões informadas e a medição do impacto das iniciativas de ESG.
  2. Integração aos processos de negócios: Incorporar considerações de ESG aos processos de negócios e estruturas de tomada de decisão existentes pode ser uma tarefa complexa. As estratégias de ESG precisam ser integradas em vários departamentos e funções, incluindo finanças, operações, cadeia de suprimentos e recursos humanos. O alinhamento das metas de ESG com os principais objetivos de negócios e a garantia de uma implementação consistente podem exigir mudanças e coordenação organizacionais significativas.
  3. Envolvimento das partes interessadas: As estratégias de ESG exigem o envolvimento de uma ampla gama de partes interessadas, incluindo investidores, clientes, funcionários, comunidades e órgãos reguladores. Equilibrar os diversos interesses e expectativas dessas partes interessadas pode ser um desafio, pois suas prioridades podem ser diferentes. A comunicação eficaz, a transparência e a participação dos stakeholders são essenciais para criar confiança e obter apoio para as iniciativas de ESG.
  4. Medição e relatórios de desempenho: A determinação de métricas e padrões adequados para medir o desempenho de ESG pode ser complexa. As organizações podem enfrentar desafios para selecionar indicadores de desempenho relevantes, estabelecer linhas de base e coletar dados consistentes. Além disso, a comunicação eficaz do desempenho de ESG aos acionistas e a garantia de transparência podem ser exigentes.
  5. Conformidade normativa e legal: As organizações devem ficar a par das mudanças nos requisitos e garantir que suas estratégias estejam alinhadas com as leis e diretrizes aplicáveis. O não cumprimento das normas pode resultar em danos à reputação, consequências legais e penalidades financeiras.
  6. Cultura organizacional e liderança: A implementação de estratégias de ESG bem-sucedidas geralmente exige uma mudança cultural nas organizações. Os líderes desempenham um papel fundamental na condução da mudança e na promoção de uma cultura de sustentabilidade e responsabilidade social. Entretanto, a resistência à mudança, a falta de conscientização e o apoio insuficiente da liderança podem impedir o progresso e limitar a eficácia das iniciativas de ESG.
  7. Alocação de recursos: As organizações precisam alocar recursos adequados para apoiar a implementação, o monitoramento e a melhoria contínua das iniciativas de ESG. Recursos limitados ou prioridades concorrentes podem representar desafios e afetar o ritmo e a escala da implementação.

Para enfrentar esses desafios, é necessária uma abordagem proativa e holística. As organizações precisam desenvolver uma estratégia ESG clara, estabelecer estruturas de governança robustas, envolver as partes interessadas, investir em recursos de coleta e análise de dados e promover uma cultura de sustentabilidade em toda a organização. A colaboração com parceiros externos, como associações do setor, ONGs e especialistas, também pode oferecer orientação e suporte valiosos.

Superando o desafio

Aqui estão algumas abordagens para enfrentar esse desafio:

  1. Coleta e análise de dados: As organizações podem começar identificando os dados ESG de que precisam e estabelecendo processos para coletá-los e analisá-los. Isso pode envolver a realização de avaliações internas, o envolvimento com as partes interessadas e o aproveitamento de fontes externas, como bancos de dados do setor, relatórios de pesquisa e provedores de classificações ESG. As organizações também podem considerar a implementação de sistemas ou ferramentas de gerenciamento de dados que facilitem a coleta, a organização e a análise dos dados. As organizações podem aproveitar a tecnologia e a automação para simplificar os processos de coleta de dados e melhorar a qualidade dos dados. Isso pode envolver a implementação de sistemas de gerenciamento de dados, o uso de ferramentas de análise de dados e o emprego de inteligência artificial e algoritmos de aprendizado de máquina para analisar grandes conjuntos de dados. A automação pode ajudar a reduzir erros manuais, aumentar a eficiência e permitir o monitoramento em tempo real do desempenho de ESG.
  2. Capacitação interna: As organizações podem investir em treinamento e capacitação dos funcionários responsáveis pelos dados de ESG para garantir que eles tenham o conhecimento necessário. Isso pode envolver a contratação de analistas de dados ou profissionais de sustentabilidade que possam navegar pelas complexidades dos dados de ESG e desenvolver metodologias robustas de coleta de dados.
  3. Envolvimento de especialistas externos: As organizações podem buscar orientação de especialistas externos, como consultores de sustentabilidade ou organizações de pesquisa, para aprimorar seus esforços de coleta de dados. Esses especialistas podem fornecer insights sobre práticas recomendadas, tendências do setor e fontes de dados emergentes. Eles também podem ajudar a identificar estruturas e metodologias de ESG relevantes que se alinham às metas da organização.

Ao implementar essas estratégias, as organizações podem aprimorar seus processos de coleta de dados, melhorar a qualidade dos dados e enfrentar os desafios associados a dados ESG limitados e inconsistentes. Além disso, o monitoramento regular e a melhoria contínua das práticas de coleta de dados são essenciais para garantir que a organização permaneça alinhada com os requisitos e padrões de relatórios de ESG em constante evolução.

Conclusão - Um caminho para um futuro sustentável

Como o mundo continua a priorizar a sustentabilidade, o ESG moldará cada vez mais o cenário dos negócios. As empresas que alavancarem com sucesso o ESG para inovação e crescimento sustentável não só contribuirão para um futuro melhor, mas também se posicionarão como líderes em seus setores. Para prosperar no ambiente de negócios em constante evolução e cultivar o sucesso de longo prazo, as empresas devem reconhecer o poder do ESG e adotá-lo como um imperativo estratégico. Se o senhor quiser uma orientação mais clara e personalizada sobre a estruturação da estratégia sustentável da sua empresa na Europa ou na China, entre em contato com a Sra. Sisi He(sisi.he@cwhkcpa.com).